Criação com ApegoSER PAIS

6 coisas que você deve saber sobre o processo de adaptação escolar

adaptacao escolar

A adaptação escolar é, para nós, um dos maiores desafios da maternidade/paternidade. Depois de haver estado 2 anos com nossa filha em casa, optamos por colocá-la na escola. Vemos que já surge nela uma necessidade grande de estar com outras crianças. E, ainda que a veja muito pequena para a escola, acredito que esse possa ser o momento idôneo para dar este grande passo.

Nossa experiência com a adaptação escolar foi nível hard. Ao mesmo tempo em que Laura queria estar com outras crianças, não queria fazê-lo sem que estivesse a seu lado. Para ela foi tão difícil o início que, um dos dias, o mais punk de todos, acabei chorando junto. O que me ajudou foi validar o que eu sentia e o que ela sentia também.

O processo de separação é duro. Tanto pais como filhos devem passar pelo duelo da separação. Aprender que essa aparente perda não é algo que resta, mas sim que pode somar às suas vidas. Como ajuda profissional, me vali das pontuações sempre certeiras da consultora de criação Miriam Tirado.

Dentre suas várias colocações, nesta publicação, deixo para vocês 6 coisas que você deve saber sobre o processo de adaptação escolar.

Coisas que deve saber se está em pleno processo de adaptação escolar

  1. Sua dor é legítima SEMPRE. Não há nada pior que o fato de que as pessoas que você amam minimizem, neguem e não validem a própria dor. Deslegitimar e minimizar a dor alheia, longe de ajudar, acaba provocando mais dor. Portanto, não o faça. Aceite que agora você está passando mal e legitime essa vivência presente.
  2. Não permita que façam você se sentir culpado por querer proteger seus filhos. Seu dever e responsabilidade é fazê-lo. Logo, não deixe que ninguém faça você se sentir mal por se preocupar ou por sofrer com seu filho. É normal que você se sinta assim neste momento. Vocês estão conectados! Legitime isso você também, valide-se e compreenda o que está vivendo.
  3. Se não há outra opção que deixar seu bebê ou criança pequena, aceite da forma mais serena que for possível neste momento. Acompanhe seu filho e cuide muito dos momentos em que estiverem juntos. Passará e, se tomou esta decisão, é porque lhe pareceu melhor. Não se culpe e adiante.
  4. Se algo lhe diz, em seu interior, que isso não vai nada bem e tem opção de escolher outro caminho mais respeitoso, dê marcha-ré. Não há problema algum se agora não era o momento. Já o será quando estiver mais maduro e preparado. Não creia que dar um passo atrás é coisa de covarde. Há vezes em que é preciso der muito valente para ir contra a corrente predominante. Portanto, decida o que acha que é melhor neste momento. E também: sem culpas.
  5. Coloque freio nas pessoas que extrapolam julgando você. Agora não é necessário pessoas ao redor que atazanam ou lhe façam sentir pequena, mas sim pessoas que a apoiem, sustentem e entendam.
  6. Lembre-se de que de tudo aprendemos e, deste momento, por mais duro que seja, você aprenderá muito.

* Texto Miriam Tirado, jornalista e consultora de criação (@miriamtirado.cat)

Criação com Apego

Na seção Criação com Apego você encontra textos interessantes sobre como podemos criar nossos filhos com amor, respeito e firmeza. Prepararmos para ser pais é algo importante. Saber como podemos estabelecer o vínculo com nossos filhos, educando-os sem gritos, ameaças e castigos também. Acesse:

Posts relacionados

10 perguntas para saber como foi seu filho na escola

Sobre a Atmosfera do Lar

A mãe frouxa

5 atividades para fazer com as crianças nas férias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *