A criança de 2 anos não é mais um bebê

0 321

Compartilhamos, nesta publicação, um texto interessante de Camila Menon, autora do perfil no Instagram @educarepreciso. Nele, há uma reflexão importante sobre as fases de desenvolvimento da criança de 2 anos e a forma adequada de ajudarmos a criança a compreender a sua própria evolução.

Antes de que você comece a leitura, deixo aqui um post que pode lhe interessar:

A criança de 2 anos não é mais um bebê

As crianças mudam o tempo todo, e a maneira como elas devem ser tratadas, também. Em inglês existem classificações muito pertinentes que facilitam na busca de informações e no trato da criança. .

Você não tem um bebê de 2 ou 3 anos, por exemplo, e é muito importante que você trate a criança da maneira correta para que ela entenda a própria evolução. Veja a seguir: .

🔹De 0 a 1 mês, chamamos de “newborn” que são os ‘recém-nascidos’;

🔹De 2 a 12 meses, chamamos de “infants”, que seriam propriamente os “bebês”; .

🔹De 13 a 24 meses, chamamos de “wobblers”, que vem do verbo “wobbly” = que balança, que oscila de um lado pro outro – ou seja, a criança a partir daqui não é mais tratada como um bebezinho, porque a idéia é que apartir desse marco ela dependa cada vez menos de ajuda. Ela, na maioria das vezes, já pode andar e começa a explorar muito mais. Incentivamos a criança nesse período a ser muito mais independente, acompanhando assim os marcos de desenvolvimento esperados nesse período. Muitas vezes de forma inconsciente os pais insistem em tratar a criança ainda como um bebê, mas isso acaba gerando uma super proteção e a dependência da criança em relação aos pais.

🔹De 2 a 3 anos, chamamos de “toddlers”. Aqui a criança já apresenta a coordenação motora mais apurada e começa então a lidar com as próprias emoções (lembre-se de que as crianças não conseguem fazer várias coisas ao mesmo tempo. Somente após dominar uma habilidade, elas conseguem “juntar” os aprendizados. Então, após dominar os movimentos físicos, elas conseguem agora dar mais atenção às próprias emoções). Ver o mundo pela perspectiva da criança nesse período é fundamental, e empatia é a palavra-chave para muitas situações. .

🔹De 3 a 5 anos, chamamos de “preschoolers” – nessa fase, a criança entende melhor a concepção de amizade, de participação em grupos, e o convívio com outras crianças é fundamental. As habilidades motoras finas são mais precisas para exercícios de escrita/desenho e o cognitivo da criança está mais preparado para a resolução de problemas.

Entender as fases da criança é primordial para poder ajudá-la de acordo com suas necessidades e limitações.

Disciplina Positiva

Através da Disciplina Positiva aprendemos a centrar-nos em potenciar habilidades em nossos filhos para que possam ser capazes de solucionar problemas por eles mesmos. Também reconhecemos que castigos físicos e psicológicos não são recursos que favoreçam a criar crianças com autonomia, responsáveis e independentes. Saiba mais:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.