Educação positiva: Disciplinar não é castigar

0 113

Muitos pais acreditam que, quando a criança não responde às suas ordens, é uma criança indisciplinada. Sem paciência para buscar soluções ao problema, tendem a atuar com violência física e/ou psicológica na educação dos filhos. Desenvolvem a crença de que só é possível disciplinar quando há um castigo, uma palmada ou um grito no meio. No entanto, ao usar desse tipo de recurso violento, o único que consegue é uma obediência à base do medo, da insegurança e da desconfiança. Deveríamos buscar aplicar uma educação positiva na criação de nossos filhos.

Disciplinar os filhos não significa castigar. Mais bem tem a ver com educar e ensinar, com calma e paciência, repetindo uma e outra vez. Compartilhamos um texto de María Fernanda Urrutia sobre o significado de disciplinar na educação positiva.

Disciplinar não é castigar. Por uma educação positiva

“Disciplinar não significa castigar, significa educar e ensinar.” Essa é uma dessas lições que você lê/escuta em um livro.

E tem toda a lógica do mundo. Em que momento decidimos fazer da disciplina um sinônimo de “obediência” à força, de castigo, de golpes, de gritos?

Parece que vai a mais, não temos referentes. Temos que escutar bem dentro. Trabalhar-nos, ajudar-nos, interpretar-nos a nós mesmos para alcançar, com sucesso, essa caótica, mas bonita, tarefa de ser pais.

Talvez seu filho ainda não saiba amarrar o cadarço do sapato. É uma habilidade que nós devemos ensinar-lhe. Talvez tampouco saiba entender o que o impulsiona a jogar os brinquedos quando se sente incomodado. É nossa tarefa ir mais além de seu comportamento e “atacar” a emoção. Descobri-la, nomeá-la e acompanhá-la.

Não se educa batendo. Ninguém “aprende uma lição” com castigos. Tampouco os gritos são a mágica solução para o aprendizado humano, para a vida. Para a responsabilidade, amabilidade, resolução de problemas, empatia, confiança, autoestima.

“Disciplinar não significa castigar, significa educar e ensinar.” É acompanhar, sujeitar, observar, conter, ser sustento nos momentos que mais nos necessitam. Dessa forma, quando “pior se comportam” estão nos dizendo (para além de seu comportamento) que não se sentem bem. Que estão tristes, que tem medo, que se sentem frustrados, sós ou envergonhados. Somente sua lupa de mamãe/papai poderá identificá-lo.

Disciplinar significa agarrar-lhes da mão para mostrar o caminho para aprender juntos.

Obs.: Frase do livro O cérebro da criança, de Daniel Siegel e Tina Payne.

* Texto de Maria Fernanda Urritia (@funtastic.mom)

Disciplina Positiva

Através da Disciplina Positiva aprendemos a centrar-nos em potenciar habilidades em nossos filhos para que possam ser capazes de solucionar problemas por eles mesmos. Também reconhecemos que castigos físicos e psicológicos não são recursos que favoreçam a criar crianças com autonomia, responsáveis e independentes. Saiba mais:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.