Técnica de cheirar uma flor para acalmar birra de criança

0 221

Em uma publicação anterior, comentava com vocês a técnica da respiração que usamos em casa para acalmar as birras de nossa filha. No nosso Instagram (@eucriandocomapego), outras mães gostaram da forma como lidamos com a situação e ficaram de tentar em casa também com seus filhos. Outras compartilharam com a gente as técnicas que desenvolveram para lidar com a birra das crianças. Convidei uma delas, Talita Klak (@tresnaoedemaisss), para dividir com todos nós a sua técnica. Nos comentários, ela nos contava que, em sua casa, usava a técnica de cheirar uma flor e soprar uma vela. Desde o início funcionou super bem. Atualmente, usa técnica de respiração.

Enfim, nós pais devemos estar atentos às necessidades de nossos filhos. Em meio a uma birra, o que não ajuda é gritar, bater ou castigar. A criança precisa se acalmar. Podemos, desde o respeito, com calma e amor, ajuda-lo a superar o momento. Fazer nossos filhos compreenderem qualquer coisa deve ser o último passo do processo. Convido vocês a lerem o texto que Talita nos enviou. Esses recursos podem ser utilizados, por qualquer pai ou mãe. No entanto, sugerimos que busquem também adaptar a seu filho. Lembre-se de que cada criança é um mundo e tem ritmos distintos. Observa-la é a melhor maneira de entende-los e decidir o que é melhor para ela.

Obrigada, Talita, por dividir com a gente sua experiência. Animamos a outros pais que queiram, relatar também suas vivências. Isso é de grande ajuda a todos nós que buscamos criar nossos filhos com apego e sem violência!

Técnica de cheirar uma flor

Meu filho mais velho, Cauê, tinha crises de tosse constantes até perto dos 3 anos. Fazia bombinha e usou corticoide por um bom tempo. Como somos de uma cidade fria e úmida as tosses sempre apareciam e ele chorava muito. Era difícil acalma-lo chorando e tossindo.
Na minha profissão tenho o privilégio de conhecer e conversar com muitas e muitas mulheres, e a troca de experiências é um presente pra nós mães.
Certa vez conversando sobre a última crise do Cauê com uma cliente-amiga, ela me contou que, quando sua pequena chorava muito, tossia e não conseguia ouvir. Ela pegava uma flor e uma vela (do bolo do último aniversário) e então fazia ela repetir: cheira a florzinha, assopra a velinha, cheira a florzinha, assopra a velinha… e assim ela ia repetindo até que se acalmava.
Achei fantástico! Na primeira crise de choro testei com ele, e ele foi chorando e assoprando, cheirando e chorando, rindo e depois só rindo até que parou. Funcionou tão bem que virou hábito. 
Hoje em dia ele não tem mais crises de choro, graças a Deus! Mas, em casa que tem 3 meninos, o chororô é constante, aí todo mundo cheira a florzinha e assopra a velinha até que possamos conversar e se entender, ou subir na bicicleta e andar até cair de novo. 
E claro, hoje em dia não usamos mais florzinha nem velinha. É só simbólico. Apenas trabalhamos a respiração na brincadeira de cheirar e assoprar até que volte ao normal️ ou quase.

Inteligência Emocional

Na seção Inteligência Emocional aprendemos como ajudar nossos filhos a reconhecer e identificar as emoções corretamente. A partir do autocontrole emocional, a criança está preparada para vivenciar situações várias de uma maneira equilibrada. Descubra mais:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.