Turma da Mônica: a maior fonte para trabalhar as emoções

0

A Turma da Mônica invadiu nossa casa. No último Natal, não tive dúvidas na hora de presentear nossa filha com uma boneca da Mônica. Dentre todas as que estão no mercado, parecia-me que essa fosse a mais brasileirinha de todas. Queria que, através de seus brinquedos, Laura também conhecesse mais de sua cultura. E, de verdade, falar da Turma da Mônica é submergir num universo de histórias folclóricas e contos clássicos infantis.

Em pouco tempo, aterrizou na vida da nossa pequena o Cebolinha, livros da Turma da Mônica, roupas e, claro, as revistinhas. Como sabem, nossa menina tem ainda 18 meses, e ainda não consegue encontrar sentido nos personagens e nas relações estabelecidas entre eles. Para ela, brincar com os bonecos é super divertido. Ler as revistinhas, então…

Na sua biblioteca infantil deixei disponíveis três revistinhas da Turma da Mônica. Ultimamente, sempre que para para “ler” seus livrinhos, acaba folheando também as revistinhas. Como podem imaginar, é difícil ler uma história em quadrinhos para um bebê. No entanto, as imagens falam por si só e contam muito. Minha filha passa muitos minutos contando – à sua maneira – o que vê nas imagens.

Trabalhando as emoções com a Turma da Mônica

Enquanto lê suas revistinhas da Turma da Mônica, Laura me grita: “Mamãe, mamãe!”, aponta para o personagem e imita a expressão. Eureka! A Turma da Mônica torna-se, assim, o melhor recurso para ensinar à minha filha como reconhecer as emoções.

Outro dia apontava para a Mônica, que estava muito brava, na tirinha. Seus olhos estavam meio fechados e sua expressão de raiva era evidente. Laura, então, me chamou, apontou para a Mônica e a imitou. Abaixou um pouco os ombros, fechou um pouco os olhos e fez uma carinha de raiva. Eu, sem perder a oportunidade, lhe expliquei: “É isso mesmo, Laura, a Mônica está com raiva do Cebolinha, porque ele fez algo do qual ela não gostou. Você também sente raiva. Cada vez que mamãe explica que não pode fazer algo, você fica assim como a Mônica e ainda joga tudo no chão.”.

Como Laura ainda é pequena, busco que aprenda a reconhecer as emoções básicas como a alegria, a tristeza, a raiva, a surpresa, o nojo e o medo. Por enquanto, vejo que, na Turma da Mônica, apenas reconhece as três primeiras. É importante, então, repetir-lhe uma e outra vez o que essas emoções lhe causam e como vivencia-las. Cada vez que imita as expressões das personagens da Turma da Mônica, dou-me conta de que ela entende que por detrás há uma emoção. Apenas deve aprender como identificá-la e manejá-la.

Emoções e a Turma da Mônica

Para que vocês possam também trabalhar com seus filhos as emoções a partir das tirinhas da Turma da Mônica, sugerimos três pautas importantes:

  • Leia as imagens. Isso mesmo. Antes mesmo de ler o texto, você pode perguntar à criança como acha que tal personagem se sente. E por que se sente assim? Acredita que encontrará uma solução para o problema?
  • Ler a revistinha junto com a criança. Ao ler, busque dar o tom adequado à emoção expressada pelas personagens.
  • Nomine as emoções e estabeleça relação com as emoções que a criança sente. Dessa forma, a criança aprende a reconhecer suas emoções.

Tirinhas da Mônica e as emoções

Separamos algumas tirinhas para que você veja como é possível trabalhar as emoções com a Turma da Mônica

> Mônica (raiva) e Cebolinha (medo)

turma da monica trabalhando as emocoes

> Cebolinha (alegria) e Cascão (raiva)

tirinha da monica emocoes

> Cebolinha (tristeza) e Mônica (surpresa)

tirinha da monica e as emocoesAgora já sabem, mais do que trabalhar compreensão leitora com as crianças, a Turma da Mônica pode render boas atividades para trabalhar as emoções.

você pode gostar também

Comentários

Loading...