Você é um pai presente na vida de seus filhos? Descubra!

Os pais deveriam exercer uma paternidade mais participativa, envolvida e compartilhada.

0 152

Você é um pai presente na vida de seus filhos? Essa é uma pergunta que cada pai deveria se fazer uma e outra vez ao longo do exercício de sua paternidade. Na nossa cultura, durante muitos anos, os cuidados das crianças eram obrigação da mãe. O pai era o que trazia o sustento. No entanto, a realidade mudou. Na maioria dos lares, tanto homem quanto mulher trabalham. E as crianças passam boa parte de seu dia nas creches e escolas.

Quando a família está reunida em casa, tanto o pai como a mãe deveriam exercer uma maternidade/paternidade consciente, mais participativa, envolvida e compartilhada. Ser um pai presente não significa dividir o mesmo espaço da casa. Por exemplo, a sala. Enquanto o pai assiste à televisão, a criança brinca de quebra-cabeça.

O homem deve ser co corresponsável na criação dos filhos. E não apenas isso. O pai presente também deveria ajudar a mãe, muito sobrecarregada de tarefas com a criança, com o lar e, na maioria das vezes, com o trabalho, a largo prazo, os benefícios múltiplos serão para a criança.

Quando o pai é presente e participa ativamente da vida dos filhos é tido como um super-herói, um super-pai, um pai de coragem. E não apenas isso. É essa uma forma de criação com apego. Ao estar presente, o pai garante o fortalecimento do vínculo entre pai e filho. A relação passa a ser baseada na confiança e no respeito, deixando de lado o modelo de obediência cega à figura do pai durão.

Como ser um pai presente na vida dos filhos

Obviamente, não há fórmulas secretas que nos ajudem a exercer a maternidade/paternidade em plenitude e com garantias de sucesso. Esse sucesso deve ser entendido aqui como formar um cidadão autônomo, independente, honesto, educado…

No entanto, ter em conta algumas condutas podem ajudar a se tornar um pai presente e ativo na vida dos filhos. Dentre elas, destacamos:

  • Ter uma relação afetuosa e incondicional com seu filho.
  • Manter uma relação que vá além de prover-lhe economicamente.
  • Ser partícipe e ator do cuidado diário e da criação de seu filho com ações como: cuidar, alimentar, colocar para dormir, vestir, passear, etc.
  • Promover um vínculo carinhoso, de apego mútuo, de cercania afetiva com seu filho.
  • Compartilhar com a mãe as tarefas de cuidado de seu filho e as tarefas domésticas.
  • Estar envolvido em todos os momentos do desenvolvimento de seu filho ou filha: gravidez, nascimento, infância, adolescência.
  • Oferecer-lhe uma criação respeitosa: cuidar, criar e educar com bom trato e manter um clima de diálogo e respeito com a mãe e a família.
  • Estimular o desenvolvimento de seu filho: lendo contos com ele, contando-lhe histórias, cantando-lhe ou colocando música para ouvir, apoiando-o em tarefas escolares, brincando juntos.

Então, papai, já é hora de assumir o papel que lhe corresponde na criação de seu filho. Seja participante, não deixe que o tempo passe sem desfrutar de seus filhos.

Recomendamos que leia também o post:

* Foto: Instituto Luiz Gama

Criação com Apego

Criação com Apego se baseia na ideia do fortalecimento do vínculo emocional entre os pais e o bebê, a fim de que seja mais seguro e confie mais em si mesmo na fase adulta. Em nossa web, você encontra uma série de discussões interessantes que podem nos ajudar a pensar melhor nosso papel de pais no processo de criação e de desenvolvimento de nossos filhos.

você pode gostar também

Comentários

Loading...