Criação com ApegoDisciplina Positiva

Comida não é prêmio, nem castigo e menos brinquedo

comida nao e premio

‘Olha o aviãozinho!’. Quantas vezes, no horário da comida, tendemos a fazer isso com a criança para que coma as verduras, legumes ou frutas? Muitas, não é mesmo?! Antes da minha filha Laura começar a comer verduras e frutas, comecei a pesquisar para aprender estratégias para dar-lhe de comer e que tudo fosse bem.

Conto a vocês que aprendi que a comida não deve ser dada como castigo, prêmio ou brinquedo. Além disso, é importante que a criança seja alimentada sempre em lugar de sossego, preferentemente enquanto nós, os pais, comemos, pois tende a repetir o que fazemos.

Então, o que evitamos em casa é que a comida se torne um brinquedo. Laura tende a rir em determinado momento do almoço, nós ficamos sérios e firmes, para que ela aprenda, através de nossos gestos e expressões que a comida não é brincadeira. Também nunca lhe dissemos ‘olha o aviãozinho!’.

E quando não quer comer? Respeitamos.

Algumas vezes já passou de que ela não quisesse a comida. No momento nos deu bastante aflição pois tínhamos medo de que desistisse de comer pra sempre. Pouco a pouco fomos compreendendo que, se tem sono, esse fala mais forte. Então, tivemos que aprender a regular o horário do almoço com o do sono, para evitar que a comida fique pela metade. Além disso, como sabemos o corpo é sábio. É a própria criança que decide a quantidade de comida que precisa naquele momento.

O que não faremos no futuro? Premiá-la ou castigá-la com comida. Logo, frases que não formarão parte de nosso vocabulário:

. Se você se comportar, te dou chocolate.

. Se fizer isso direitinho, te compro um doce.

. Se você ficar quieto, você escolhe que doce quer hoje.

. Não fique triste, se deixar de chorar, vai ganhar sorvete.

Isso porque comer é uma necessidade, nossa fonte de energia. Todos precisamos nos alimentar para sobreviver. Até mesmo um bebê, intuitivamente, o sabe. Acontece que, há vezes em que não come abobrinha. Devemos ser conscientes para mudar por outro alimento similar enquanto seja possível. O importante é manter a calma não nos estressarmos, enquanto pais.

Devemos fazer do horário da comida, um momento tranquilo para que a criança não o associe a algo ruim, estressante.

* Foto: Entre Nosotros

Posts relacionados

Os castigos funcionam?

Meu bebê não quer comer mais. O que fazer?

A alimentação durante a gravidez tem efeitos sobre o DNA do bebê

A cultura do terror

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *