Todo pai ou mãe já se sentiram vivendo em um caos. Sentiram, em algum momento, como o controle escapava de suas mãos. Por vezes, deram-se conta de que os filhos não escutavam o que diziam e não colocavam em prática o que havia sido acordado. Nesse momento, acreditamos que não sabemos como estabelecer limites em casa.

De fato, colocar limites sãos e claros no lar nem sempre é tarefa fácil. Isso porque é impossível ter o controle de tudo. Muitas vezes nos escapa. Lembremo-nos que nossos filhos são sujeitos que estão construindo sua identidade e não robôs. Haverá momentos em que, tomados de emoções como a raiva ou a ira, por algo que lhe tenha passado, se veja refletido nas relações familiares.

E, quando se escolhe uma criação respeitosa e consciente, é normal que muitos pais vejam dificuldades em estabelecer limites em casa sem ferir as crianças ou causar-lhes problemas emocionais que, ao longo tempo, fiquem como marcas em seu caráter e modo de atuar.

Como estabelecer limites em casa

Então, na hora de colocar limites em casa, você deve ter em conta alguns pontos que deve sempre praticar.

Proibições constantes

Devemos evitar os limites negativos. O excesso de NÃO tende a reduzir a receptividade da mensagem. No lugar de dizer e/ou gritar “Não suje o chão”, tente dizer com amabilidade “Ajude-me a manter tudo limpo”.

Etiquetas

Etiquetar nossos filhos afeta muito a sua autoestima. Dizer coisas do tipo “você é um menino mau”, busque conversar sobre a ação inadequada e como encontrar soluções para atuar de forma adequada.

Ressentimento

Os limites devem ser justos e ter em conta as necessidades da criança. Nunca devem nascer da mágoa.

Ameaças ou castigos

Os castigos ou ameaças podem resolver o problema pontualmente. A longo prazo não geram efeitos positivos. Então, melhor dialogar para criar consciência nas crianças para facilitar a colaboração.

Enfim, tenha em conta que, na hora de estabelecer limites em casa, considere o que é realmente importante dizer não. Por exemplo, se a criança corre risco ou coloca em risco a vida de outro, o limite é um não e indiscutível (“Não pode brincar com fogo porque você pode se queimar.”). Se o perigo é médio, no lugar de dizer um NÃO, o melhor é optar por usar a amabilidade (“Essa escada é muito alta, posso ajuda-lo segurando para que você não caia” ou “Este brinquedo é alto, melhor brincar aqui que é mais seguro”). E, há uma infinidade de coisas que podemos evitar o NÃO, como, por exemplo, brigar para a criança sair de casa com a blusa se ela sente calor. Ainda que você sinta frio, a criança está sempre em movimento e pode sentir calor no momento. Então, no lugar de impor sua vontade, leve a blusa e, não tenha dúvidas, nada mais chegar à rua, ela mesma lhe pedirá a blusa, alegando sentir frio.

Disciplina Positiva

Através da Disciplina Positiva aprendemos a centrar-nos em potenciar habilidades em nossos filhos para que possam ser capazes de solucionar problemas por eles mesmos. Também reconhecemos que castigos físicos e psicológicos não são recursos que favoreçam a criar crianças com autonomia, responsáveis e independentes. Saiba mais:

Author

Deixe Uma Resposta