Criação com ApegoEducação Emocional

Formas de dizer eu te amo filho

Te amo, filho

Quantas vezes você diz Eu Te Amo Filho cada dia? Uma, duas, três? Talvez você não saiba, mas nos pequenos cuidados você já está lhe dizendo Eu Te Amo Filho. Ao nos tornamos pais, experimentamos o chamado amor incondicional. Somos capazes de vencer nossos próprios limites para cuidar de nossas pequenas crias.

No entanto, com o passo do tempo, tendemos a acreditar que o fato de suprir as necessidades básicas da criança é o suficiente para demonstrar-lhe o quanto é importante para nós. Enganamo-nos. Não apenas podemos como devemos fazer-lhe sentir esse amor através de nossos gestos e maneiras de nos comunicar.

Formas de dizer Eu Te Amo Filho

De nada dizer Eu Te Amo filho apenas em palavras. É preciso demonstrá-lo. Veja algumas maneiras de fazer com que sinta esse amor.

  1. Fale com ele de maneira amável e sempre com respeito.
  2. Peça desculpas quando se equivocar. Ele precisa saber que você também sabe reconhecer seus erros.
  3. Pergunte como pode ajuda-lo.
  4. Olhe-o nos olhos quando falar com ele.
  5. Seja justo com ele, não favorecendo a outro filho, caso tenha mais de um.
  6. Deseje sempre ‘bom dia’ ao despertar-se e ‘boa noite’ ao dormir.
  7. Compartilhe seu tempo com ele, que nesse momento ele seja o centro de sua atenção.
  8. Reconheça e valorize seus esforços e seus sentimentos.
  9. Demonstre-lhe seu amor com um forte abraço.
  10. Abrace-o ao dormir, beije-o e lembre-o o muito que você o ama.

Do falar à prática

Se você já coloca em prática essas ações, certamente perderá a conta das vezes que demonstra seu amor por sua criança.

Tudo isso se rompe quando, no meio de cada uma dessas condutas, você grita quando faz algo errado, bate quando não lhe obedece, coloca de castigo quando não se comporta como um mini adulto.

Tenho lido muito sobre o tema e vejo que, em comentários em sites e páginas em redes sociais, muitas pessoas não veem incoerência entre uma criação respeitosa e uma criação baseada em gritos, surras e castigos. Justificam que, às vezes, é necessário um ‘corretivo’ para que a pessoa aprenda.

Comentários do tipo ‘se tivesse levado uma boa surra a tempo, não roubava’. É uma pena que se alie a delinquência a não ter apanhado quando crianças. Na realidade o problema é muito mais profundo. A agressividade e a violência vem do não desenvolvimento na criança de empatia e compaixão, que facilitassem o respeito ao outro, colocar-se no lugar do outro. Uma surra não evitaria a delinquência se em casa faltasse o apego e o amor.

É preciso que mostremos a nossos filhos o quanto os amamos, e fazê-lo sempre desde o respeito, o apego e o amor. Esse é um primeiro passo para criar crianças emocionalmente seguras e amadas.  Só assim seremos capazes de mudar toda uma cultura e educá-los para a paz. Se queremos que nossos filhos sejam amorosos, a mudança deve partir de nós pais.

Criação com Apego

Na seção Criação com Apego você encontra textos interessantes sobre como podemos criar nossos filhos com amor, respeito e firmeza. Prepararmos para ser pais é algo importante. Saber como podemos estabelecer o vínculo com nossos filhos, educando-os sem gritos, ameaças e castigos também. Acesse:

Posts relacionados

Conto Zen - Educar exige muito de sua paciência, confiança e amor

Como conseguir que não abusem de seu filho por ser muito bom?

Os 5 fundamentos da Disciplina Positiva

Disciplina Positiva e Método Montessori: filosofias complementares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *