Você já se deu conta de que, em muitas situações, você perde o equilíbrio emocional com nossos filhos. Um comportamento inadequado ou não esperado é o suficiente para nos causar desequilíbrio. Acabamos por gritar com a criança. Há quem acabe batendo. Muitos se sentem culpados quando acabam sendo duros com os filhos. Outros tendem a culpa-los. Sabe aquelas frases que escutamos: “Esse menino me desafia o tempo todo” ou “Faz tudo para me provocar”. Então, são falsos argumentos que repetimos de gerações anteriores para tentar justificar nossas ações errôneas com nossos filhos. Tenha em conta: Seus filhos não tem a culpa!

E, atenção, com isso não queremos afirmar que o pai ou a mãe deva sentir-se em culpa porque, em algum momento, acabe gritando. Também somos humanos. Frustramo-nos, nos cansamos, ficamos esgotados… e, muitas vezes, esse grito sai como uma válvula de escape. O que devemos evitar é atribuir aos filhos uma culpa que não tem. Convido vocês lerem um texto que traduzimos, de autor desconhecido. Uma boa reflexão sobre o assunto.

Seus filhos não tem a culpa

Seus filhos não tem a culpa do mau dia que você teve. Seus filhos não tem a culpa dos problemas com seu companheiro. Suas crianças não tem a culpa de suas frustrações nem dos maus momentos no seu trabalho.

Não tem a culpa de que se tenha estourado a camisinha ou falhado o anticoncepcional. Ou, simplesmente, não tem a culpa que você não tenha cuidado com responsabilidade.

Seus filhos não tem a culpa das feridas da sua infância. De suas penas, de seus medos. De seu coração despedaçado.

Eles chegaram para curar, para ensina-la a amar de uma maneira que você nunca imaginava. Chegaram para dar um significado à sua vida que, talvez, não tinha. Para ensinar-lhe a ser forte e resiliente. Para ensinar-lhe a lugar e sair adiante todos os dias.

É nossa obrigação, como mamães e papais, dar-lhes uma infância ESTÁVEL, SAUDÁVEL E TRANQUILA, mágica, contida em beijos, abraços e presença.

Equivocamo-nos, é certo.

Tropeçamos e caímos, mas devemos saber limpar nossas feridas e pedir perdão.

Aprender a ser mamães e papais cada dia, não é fácil. Devemos lutar contra nosso cansaço, penas, temores, situações não resolvidas. Sejamos mamães e papais presentes, carinhosas, ocupadas e preocupadas com e para nossos filhos.

É o trabalho mais importante, o que deixa marcas: formar pessoas. Pessoas de bem.

Neles ficará o amor que colocamos neste caminho, durante sua infância. Isso é o único, o que mais fica. Eles merecem todo nosso respeito e muito AMOR.

Criação com Apego

Na seção Criação com Apego você encontra textos interessantes sobre como podemos criar nossos filhos com amor, respeito e firmeza. Prepararmos para ser pais é algo importante. Saber como podemos estabelecer o vínculo com nossos filhos, educando-os sem gritos, ameaças e castigos também. Acesse:

Author

Deixe Uma Resposta