Calendário do advento das emoções – 24 surpresas para o Natal

0 1.234

Eis que apresento a vocês nossa melhor proposta de atividades para o Natal: o calendário do advento das emoções. A ideia é, cada dia (entre os dias 1 e 24 de dezembro), realizar uma atividade que ajude Laura a reconhecer e administrar as distintas emoções. Durante o mês de dezembro, nossos filhos estão expostos a uma grande quantidade de estímulos: decoração natalina, Papai Noel, brinquedos… Sem dúvidas, todas as situações que tiram a criança da sua rotina lhe permitirão vivenciar uma grande variedade de emoções, tanto novas como já conhecidas.

Em outra publicação, comentava sobre a tradição natalina do calendário do advento. Remonta da época protestante alemã, durante o século XIX. Naquele período, as crianças tinham o costume de acender uma vela cada dia do período do advento. Esse é, desde o domingo do advento (dia que varia cada ano) até o 24 de dezembro. Atualmente, a tradição mudou um pouquinho. O calendário inclui os 24 primeiros dias de dezembro (do 1 ao 24) e, no lugar de velas, se completam com presentes ou chocolates.

Cada vez mais, os pais tendem a transformar o calendário do advento em uma oportunidade para ensinar os filhos a esperar, já que, ao seguir o programa de atividades, a criança realiza a contagem regressiva para a passagem do Bom Velhinho. Não apenas isso, muitos pais se aproveitam do calendário para propor atividades em família, tendo nessa uma oportunidade única para viver bonitos momentos juntos. Dessa forma, substituem presentes e doces por atividades mais significativas.

Pegando carona nessa onda, para nós parece interessante aproveitar o calendário do advento para trabalhar as emoções.

calendario do advento das emocoes 03

Por que fazer um calendário do advento das emoções?

Como vocês já sabem, damos muito valor à educação emocional. Acreditamos que é muito importante falar sobre as emoções e entender o que nos ocorre nas distintas situações vividas. Atualmente, Laura vive uma fase bem complicada. Tem enorme dificuldade em compartilhar o que é seu. Além disso, para defender o que lhe pertence começou a bater nos amigos. Isso sem contar as birras. Pensamos que o Natal pode ser uma ocasião única para trabalhar todas essas novas emoções que nossa pequena tem experimentado e não sabe administrar adequadamente.

Acreditamos que, para desenvolver-se emocionalmente sã, é preciso que Laura aprenda a nomear as emoções. Isso ajuda a que reconheça e entenda o que passa dentro dela mesma. O calendário do advento das emoções é um recurso bem útil para que Laura comece a se dar conta de emoções que já sentiu mas ainda não sabe identificar, bem como reforçar aquelas que já conhece.

Expressar e administrar as emoções é o objetivo da educação emocional. Claro está que Laura ainda é pequena para fazer frente a todo esse turbilhão de emoções que vivencia cada dia. Mas é certo que, quanto antes aprenda a reconhecer, identificar e administrar as emoções, melhor conhecerá a si mesma e poderá criar soluções para as adversidades que encontre em sua vida.

Nosso calendário do advento das emoções

Deixo aqui algumas fotos do nosso calendário do advento das emoções. Fizemos algo bem simples neste ano. O objetivo era conseguir algo que resultasse prático. Então, como vocês já sabem, o calendário do advento consta de 25 ‘recipientes’ de algum tipo (envelopes pendurado com pregadores, caixinhas de papelão, ou qualquer outra elaboração…). Nós optamos por apenas uma casinha. E explico o por quê.

calendario do advento das emocoes 04

Um calendário do advento, tal como concebido, é ideal para crianças a partir dos 4 anos, quando já compreendem melhor o tempo e sabem que devem esperar até o dia seguinte para abrir uma nova casinha. Laura não tem esse discernimento. Então, optamos por ter apenas uma casinha que, cada dia, trará uma atividade dentro de um envelope de cor diferente, representando as emoções.

Nossa ideia é, cada dia, pela manhã, convida-la a ver se há algo novo na casinha. Dessa forma, ela se dará conta de que, ao abrir o envelope, esse é retirado da casinha que fica vazia até o dia seguinte, quando ela acorda e averigua o que há de novo.

calendario do advento das emocoes 05

24 surpresas do nosso calendário do advento

Cada dia, o nosso calendário do advento das emoções trará, no lugar de presentes materiais ou balas, 24 surpresas para trabalhar as emoções. Estas são as que escolhemos para este ano. Espero que gostem e se inspirem:

1. Alegria → Pote da Alegria

Imprimir de 5 a 10 fotos de momentos alegres vivenciados pela criança durante o ano. Ver as fotos juntos, relembrar o que ocorreu cada dia. Falar sobre o que sentia naquele momento. Preparar um pote personalizado para guardar a alegria.

2. Tristeza → Pote da tristeza

Queremos ajudar Laura a compartilhar e a não bater nos amigos… A proposta é o pote da tristeza. Imprimir cenas do cotidiano que sejam alegres e tristes. Dentre aquelas que causam a tristeza no outro, estarão uma criança triste porque ninguém empresta nada a ela e outra triste porque o amigo bateu nela. O objetivo é que Laura diferencie o que causa tristeza e o que causa alegria. E, claro, no caso da tristeza, falar sobre isso relacionando ao que lhe passa na vida real.

3. Medo → Trem do medo

Fazer um trem com pedaços de cartolina (coloridos ou não). Apresentar 5 imagens que indiquem situações de segurança e 5 que indiquem situações de medo. A criança deve colocar nos vagões do trem aquelas que mostram medo. O objetivo é que a criança perceba que é possível reconhecer nossos medos e administra-los para que não se transformem em pânico.

4. Raiva → Técnica da respiração

Fazer a técnica da respiração com uso da vela. Falar com a criança sobre o que significa sentir raiva. Reconhecer os sinais da raiva em nossa cara e corpo. Mostrar como a técnica da respiração pode ajudar a administrar a raiva que nos impede reagir com a razão.

5. Nojo → Frascos dos odores

Em pequenos frascos, colocaremos distintos odores que podem causar prazer ou nojo.  A criança cheira cada um dos frascos e reconhece quais são mais agradáveis e quais não.

6. Prazer → Caixa das texturas

Em uma caixa colocar diferentes materiais com texturas distintas agradáveis ou não ao tato. A criança deve ser levada a refletir sobre quais lhe dão mais prazer ao tocar e quais lhe dão nojo.

7.  Tédio → Caixa surpresa

A criança deve aprender a reconhecer quando está entediada. E não há mal nenhum em sentir tédio. Pode ler um livro, desenhar, pintar ou não fazer nada simplesmente. A caixa surpresa traz uma série de peças soltas. A criança deve dar asas à imaginação para criar e inventar algo por ela mesma.

8. Calma → Músicas que acalmam

Deitar juntos no chão ou na cama e escutar canções que acalmam. Perceber esse estado de calma e sossego.

9. Várias emoções → Carinhas

Imprimir fichas das emoções (veja link abaixo) e as imagens abaixo que indicam das distintas emoções. O objetivo é que a criança possa fazer o pareamento das emoções. Essa é uma forma de a criança distinguir, a partir das expressões faciais e corporais o que se sente.

10. Empatia → Compartilhar um brinquedo

Compartilhar é uma das tarefas mais difíceis para uma criança. Especialmente para as de 2-3 anos. A partir de uma atividade lúdica, podemos ensina-la a compartilhar seus brinquedos. Para isso, estando duas ou mais crianças, cada qual deve escolher um brinquedo de sua preferência. Em roda, cada qual mostra o seu e troca com a outra criança por um tempo. O objetivo é que a criança entenda que pode emprestar o brinquedo para a outra e, ao terminar o tempo, cada um terá de volta o seu.

11. Tédio → Caixa surpresa

Apreciar o tédio como um estímulo para a criatividade e a geração de entusiasmo. A caixa surpresa volta com diferentes peças soltas para que a criança crie e faça o que desejar.

12. Ira → Quietinho como um sapo

Brincar de ser sapos em um jardim. Essa é uma técnica que pode ser muito útil no controle da ira. Podemos, primeiro, falar sobre a ira. Se considerar, imprimir imagens que representem a ira em situações cotidianas. Mostre à criança que, em momentos de ira, podemos usar a técnica. O sapo é capaz de estar bem quieto, observando tudo o que passa a seu redor, sem reagir de imediato. Mostre-lhe como respirar, fazendo um par de respirações profundas com muita calma. Mostre como a barriga se enche quando entra ar e se esvazia quando sai o ar. Durante um tempo curto de 1 minuto, vocês devem estar sentados, respirando como um sapo, quietos, notando apenas como a barriga se enche e se esvazia.

13. Segurança/Insegurança → Visitar o Papai Noel

A visita à casa do Papai Noel é sempre algo planejado pelas famílias. Obviamente, nem toda criança deseja um abraço do Bom Velhinho. Mas há aquelas que se jogam com tudo em seus braços. Durante a visita, segundo a reação que a criança tenha, podemos mostrar-lhe que se sentiu segura (para estar com Papai Noel) ou insegura (não teve coragem de ir até ele). Podemos mostrar-lhe que podemos administrar esse medo a fim de que possa controla-lo e se sentir mais segura em uma próxima vez.

14. Empatia → Algo que gosto nele/nela…

Imprimir 5 a 10 fotos de alguns familiares e/ou amigos. Reconhecer a admiração pelo outro e como é importante para sua vida. Mostrar a foto à criança e perguntar: “o que você gosta nesta pessoa?”. A criança poderá responder o que desejar: “gosto muito como brinca comigo”.

15. Frustração → Jogo do eu quero, mas não posso…

As crianças tendem a querer tudo. Há um momento em que acreditam que basta querer para ter. Muitas das birras acabam ocorrendo por essa ânsia de querer, mas não entender que nem tudo é possível naquele exato momento. O jogo do eu quero, mas não posso… é bem simples. Escolhemos três coisas que poderíamos fazer naquele dia: brincar no parquinho, visitar a casa do Papai Noel, fazer um passeio no trenzinho da cidade. Com certeza, essas são três das coisas que gostaria muito. A criança deve escolher apenas uma. Devemos ser firmes e mostrar-lhe que, ao fazer a sua escolha, as demais não serão realizadas. A frustração pode surgir quando a criança queira as demais também. Então é preciso reforçar a necessidade de aceitação.

16. Entusiasmo → Dançar canções preferidas

A dança é uma excelente atividade corporal. Geralmente, dançamos quando estamos entusiasmados. Dançar com a criança uma seleção de suas músicas preferidas. No final, falar sobre o entusiasmo com que viveram o momento.

17. Tédio → Caixa surpresa

E a caixa surpresa de novo. Peças soltas para a imaginação e criatividade. Lembre-se que a caixa surpresa não deve nunca conter uma atividade dirigida. O que queremos é que a criança aprenda a, do nada, fazer novas coisas. No caso da atividade dirigida, ela sempre esperará que um adulto lhe indique o que fazer.

18. Emoções básicas → Ler um conto

Proposta de leitura: “O Monstro das cores”, de Ana Llenas. Esse é, sem dúvidas, o melhor livro infantil para trabalhar as emoções básicas. A partir de uma história simples as crianças aprendem a distinguir as emoções.

19. Nojo → Metendo a mão na caixa

A partir daqui, cada dia que falta para a noite de Natal, voltamos a reforçar as emoções básicas. Propomos uma atividade sensorial: metendo a mão na caixa. No caso, usaremos 4 caixas. Todas devem estar tapadas e ter um buraco por onde a criança coloca as mãozinhas. Ela não pode ver o que tem dentro. Em cada uma delas alguma coisa que possa provocar sensação de nojo: slime líquido, gelatina, tinta misturada, gravetos… Enfim, a ideia é que, ao colocar a mão na caixa, a criança possa demonstrar nojo ou prazer pelo que está tocando. A atividade também pode ser feita vendo o conteúdo da caixa. Dessa forma, pode se dar que a criança não queira nem tocar. Nesse caso, fica reforçada a vivência do nojo.

20. Raiva → Ler um conto

Proposta de leitura: “Quando eu me sinto chateado”, de Trace Moroney.

21. Gratidão → Ler um conto

Proposta de leitura: “Muito obrigado(a)”, livro da Coleção Palavras Mágicas. A partir de diferentes situações ilustradas, a criança aprende o significado de agradecimento.

22. Medo → Ler um conto

Proposta de leitura: “Quando tenho medo”, de Trace Moroney.

23. Tristeza → Ler um conto

Proposta de leitura: “Quando me sinto triste”, de Trace Moroney.

24. Alegria → Preparar um prato de Natal

Sim! Não precisamos só falar, falar e falar das emoções. Vivencia-las é muito importante também! Fazer um prato de Natal em família pode render bonitos momentos. Sem dúvidas, se viverá a alegria personalizada!

Espero que tenham gostado. No nosso Instagram (@eucriandocomapego), divulgarei algumas das atividades que fizermos por aqui! Espero que se animem e façam o calendário do advento das emoções com seus filhos também.

Atividades sobre as emoções

Se você quer trabalhar as emoções com seus filhos, mas não sabe por onde começar, em nosso blog indicamos uma série de atividades e recursos maravilhosos.

Inteligência Emocional

Na seção Inteligência Emocional aprendemos como ajudar nossos filhos a reconhecer e identificar as emoções corretamente. A partir do autocontrole emocional, a criança está preparada para vivenciar situações várias de uma maneira equilibrada. Descubra mais:

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.