Educação Emocional

Muitos brinquedos anestesiam as crianças

excesso de brinquedos

Natal, Dia das Crianças, Aniversário… datas especiais que as crianças esperam com muita ansiedade, pois sabem que receberão vários presentes. Muitos pais, além dessas fechas, costumam presentear o filho em qualquer data numa tentativa de compensar com brinquedos o pouco tempo que passam com suas crianças.

A princípio ficamos super felizes ao ver nossos filhos contentes, rasgando o papel de presente e descobrindo o que ganhou. No entanto, isso pode ter um efeito contrário. Pouco a pouco, tantos brinquedos poderia causar na criança uma anestesia emocional, tornando-se caprichoso, egoísta e consumista.

Excesso de brinquedos pode provocar na criança:

  1. Superestimulação. Quando a criança ganha mais brinquedos do que são capazes brincar, não conseguem se concentrar em cada um deles, não tirando proveito do que poderiam lhe oferecer para seu desenvolvimento psicomotor.
  2. Perda da ilusão. Ao receber tantos presentes, a criança vê isso como uma coisa corriqueira e, até mesmo, uma obrigação de seus pais, perdendo a ilusão que implicaria receber o presente e descobrir o que é.
  3. Baixo nível de tolerância à frustração. Ao dar tudo o que deseja a uma criança, transmitimos que não há sacrifício por tras de cada presente. Logo, quando não ganham o que desejam, não conseguem lidar com a frustração. Daí algumas birras.
  4. Limita a fantasia. Brinquedos prontos que fazem tudo, sem motivar a criatividade. As crianças precisam se entediar para que possam inventar e ser criativas. Muitas vezes achamos que, ao não deixar de lado um brinquedo, é necessário substituir para que a criança possa se entreter. Lembremos: as crianças são criaturas inventivas. Com pouca coisa é capaz de se divertir muito.
  5. Desenvolve antivalores. Tantos brinquedos podem fazer com que as crianças não compreendam a verdadeira magnitude do esforço que, provavelmente, teve de fazer seus pais. Um possível resultado podem desenvolver atitudes consumistas e profundamente egoístas.

 Como solucionar o problema então?!

O rodízio de brinquedos é uma boa solução para isso. Ao limitar a quantidade de brinquedos com as quais a criança será exposta, não significa não dar-lhe presentes, ou jogar fora aqueles que ganha dos parentes e amigos em seu aniversário.

Como pais, podemos guardar cada um dos brinquedos, permitindo que nosso filho brinque com todos eles, porém não ao mesmo tempo. Podemos deixar à sua disposição uns quatro ou cinco brinquedos. Os outros deixamos guardado. Passada uma ou duas semanas, quando observemos que ele já não quer mais brincar com os que tem disponível, tratamos de fazer o rodízio.

Logo, guardamos uns e expomos outros. Cada etapa da criança é diferente. Ao ficar uns dias sem ver o brinquedo, quando torna a tê-lo em suas mãos, descobre novas funcionalidades.

Posts relacionados

Cartões de três partes sobre emoções e sentimentos

Jogo Monstro das Cores para brincar com as emoções

As coisas que eu amo...

Torre da primavera para empilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *