Poema infantil, poetas que toda criança deveria ler

0 870

Quando falamos de literatura infantil, quase sempre estamos nos referindo às narrativas. Estamos sempre em busca de bonitos contos infantis para contar a nossos filhos. Deixamos completamente de lado a poesia. Esse gênero nos parece, muitas vezes, difícil e inalcançável. Como explicar a nossos filhos um poema, se muitas vezes nem eu mesmo entendo o que está escrito? É certo que a poesia pode necessitar, não raras vezes, uma leitura mais crítica: No entanto, há muitos poetas que se dedicaram à escrita do poema infantil para dar a oportunidade às crianças de conhecer esse universo mágico das palavras escritas em versos.

Benefícios de ler poema infantil

Tal como a leitura de qualquer gênero literário, o poema infantil traz uma série de benefícios para nossos filhos. Dentre eles destacamos:

1. Estimula a imaginação. Através da musicalidade e ritmo da poesia podemos estimular a imaginação, o gosto e o hábito pela leitura.

2. Desenvolvimento da linguagem. Os poemas trazem uma variedade de palavras que podem ajudá-los a compreender melhor seu entorno

3. Exercitam a memória. Um pequeno poema infantil pode ser memorizado pelas crianças. Além disso podem ser também dramatizados.

4. Melhoram a compreensão oral. A leitura do poema infantil contribui para a melhoria da expressão oral.

5. Trabalham a criatividade. Ajuda a aprofundar no reconhecimento e identificação das emoções.

6. Ativam a criatividade. A leitura de todo e qualquer gênero literário auxilia no desenvolvimento da criatividade.

7. Transmitem valores. O poema infantil intervém no aprendizado social, se transmite valores como solidariedade e tolerância. Também podem ajudar a aprender as distintas emoções.

8. Podem ser ferramentas para trabalhar a coordenação psicomotora da criança. Há muitas poesias que favorecem o trabalho da expressão corporal. Há poemas que podem ser lidos com o movimento corporal.

Que poema infantil ler?

Há um sem-fim de poemas infantis. Há muitos pais que gostariam de ler poemas para seus filhos, mas não sabem por onde começar. Como distinguir um bom poema que fomente o gosto pela leitura de nossas crianças… um poema que seja divertido e, ao mesmo tempo, bonito?

Acreditamos que podemos aproximar nossos filhos desse gênero literário se começamos com aqueles que trazem uma bonita musicalidade, com rimas curtas, linguagem simples e atrativo. Os poemas devem estar de acordo com a idade de nossos filhos, para que compreendam a mensagem. Há vários poemas que são narrativos, outros que imitam sons de alguma coisa através de seu ritmo, e outros que transmitem valores.

Ter em conta o gosto de nossos filhos também nos ajudará na escolha dos poemas. Outra dica, é selecionar um poeta para apresentar a seu filho. Escolher algumas de suas poesias, para ler com ele. Ao final, podem falar o que entenderam ou pedir que desenhe o que entendeu. Podem brincar de repetir os versos, dramatizando. Brincar de interpretar o poema pode ser algo super interessante.

Poetas que toda criança deveria ler

Há vários poetas que se dedicaram, completamente ou em parte, a escrever poema infantil. Muitos desses textos servem também para nós adultos. Com isso, queremos dizer que a leitura é agradável a todos.

Selecionamos 12 poetas que toda criança deveria ler. Para cada um deles, um poema e, clicando nos links recomendados, você encontra mais poemas infantis para você ler com seus filhos. Desfrute de uma boa leitura em excelente companhia. São mais e 200 poemas para o público infantil!

1. Carlos Drummond de Andrade

Cidadezinha qualquer

Casas entre bananeiras
mulheres entre laranjeiras
pomar amor cantar.

Um homem vai devagar.
Um cachorro vai devagar.
Um burro vai devagar.

Devagar… as janelas olham.

Eta vida besta, meu Deus.

2. Cecília Meireles

Ou isto ou aquilo

Ou se tem chuva e não se tem sol
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo em dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo …
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.

3. Fernando Pessoa

Dorme, criança, dorme

Dorme que eu velarei;
A vida é vaga e informe,
O que não há é rei.
Dorme, criança, dorme,
Que também dormirei.

Bem sei que há grandes sombras
Sobre áleas de esquecer,
Que há passos sobre alfombras
De quem não quer viver;
Mas deixa tudo às sombras,
Vive de não querer.

4. Ferreira Gullar

Na cara

Gatinho, pra me acordar,
Não fica miando a esmo:
Mia bem na minha cara
Para ver se eu acordo mesmo.

5. Manuel Bandeira

Andorinha

Andorinha lá fora está dizendo:
– “Passei o dia à toa, à toa!”

Andorinha, andorinha, minha cantiga é mais triste!
Passei a vida à toa, à toa…

6. Mário Quintana

Canção da Garoa

Em cima do meu telhado,
Pirulin lulin lulin,
Um anjo, todo molhado,
Soluça no seu flautim.

O relógio vai bater;
As molas rangem sem fim.
O retrato na parede
Fica olhando para mim.

E chove sem saber por quê…
E tudo foi sempre assim!
Parece que vou sofrer:
Pirulin lulin lulin…

7. Olavo Bilac

A casa

Vê como as aves têm, debaixo d’asa,
O filho implume, no calor do ninho!…
Deves amar, criança, a  tua casa!
Ama o calor do maternal carinho!

Dentro da casa em que nasceste és tudo…
Como tudo é feliz, no fim do dia,
Quando voltas das aulas e do estudo!
Volta, quando tu voltas, a alegria!

Aqui deves entrar como num templo,
Com a alma pura, e o coração sem susto:
Aqui recebes da Virtude o exemplo,
Aqui aprendes a ser meigo e justo.

Ama esta casa! Pede a deus que a guarde,
Pede a Deus que a proteja eternamente!
Porque talvez, em lágrimas, mais tarde,
Te vejas, triste, desta casa ausente…

E, já homem, já velho e fatigado,
Te lembrarás da casa que perdeste,
E hás de chorar, lembrando o teu passado…
— Ama, criança, a casa em que nasceste!

8. Paulo Leminski

O que quer dizer

O que quer dizer diz.
Não fica fazendo o que, um dia, eu sempre fiz.
Não fica só querendo, querendo,
coisa que eu nunca quis.
O que quer dizer, diz.
Só se dizendo num outro
o que, um dia, se disse,
um dia, vai ser feliz.

9. Roseane Murray

Onda

Entre uma onda e outra
o mar fabrica o silêncio.
O céu fabrica as estrelas e vento,
as nuvens fabricam chuva,
raios e tempestade.
A noite fabrica sonhos.
O sol fabrica o dia.
O amor fabrica a vida.

10. Ruth Rocha

Pessoas são Diferentes

São duas crianças lindas
Mas são muito diferentes!
Uma é toda desdentada,
A outra é cheia de dentes…

Uma anda descabelada,
A outra é cheia de pentes!

Uma delas usa óculos,
E a outra só usa lentes.

Uma gosta de gelados,
A outra gosta de quentes.

Uma tem cabelos longos,
A outra corta eles rentes.

Não queira que sejam iguais,
Aliás, nem mesmo tentes!
São duas crianças lindas,
Mas são muito diferentes!

11. Sérgio Capparelli

Vaca amarela

Vaca amarela
fez cocô na panela,
cabrito mexeu, mexeu,
quem falar primeiro
comeu o cocô dela.
Vaca amarela,
sutiã de flanela,
cabrito coseu, coseu
quem se mexer primeiro
pôs o sutiã dela.
Vaca amarela
fez xixi na gamela,
cabrito mexeu, mexeu,
quem rir primeiro
bebeu o xixi dela.
Vaca amarela
cuspiu da janela,
cabrito mexeu, mexeu,
quem piscar primeiro
lambeu o cuspe dela.

12. Vinícius de Moraes

A casa

Era uma casa
Muito engraçada
Não tinha teto
Não tinha nada

Ninguém podia
Entrar nela não
Porque na casa
Não tinha chão

Ninguém podia
Dormir na rede
Porque na casa
Não tinha parede

Ninguém podia
Fazer pipi
Porque penico
Não tinha ali

Mas era feita
Com muito esmero
Na Rua dos Bobos
Número Zero.

Leia mais poemas infantis:

 

Visite nossa biblioteca e descubra sugestões de livros, atividades de leitura e muito mais.

você pode gostar também

Comentários

Loading...